PORQUE DEUS CRIOU A MULHER?

Por Rosana Trevisoli Porte e Wilson Porte

Tudo o que Deus cria, ele cria com um propósito. Quando ele criou os céus, não foi para ser habitado pelos peixes. Quando ele criou os mares, não foi para que nele construíssemos cidades. Assim nós também; quando criamos alguma coisa, sempre criamos com um propósito;

Exemplo: O que acontecerá se nós quisermos triturar pedras em um liquidificador? Ele ficará todo danificado, pois não foi feito para triturar pedras, mas frutas e alimentos. O mesmo se nós colocarmos a louça suja dentro de uma máquina de lavar roupa, não dará muito certo, pois esta foi criada com o propósito de lavar roupa!

ASSIM, TAMBÉM, quando Deus criou a mulher, ele a criou com um propósito. Vamos ver com qual propósito ele a criou.
MULHERES PODEM TRABALHAR?
A Bíblia fala de várias mulheres que trabalhavam. Todas elas faziam o que faziam pensando em agradar a Deus com seu trabalho. Atos 9.36-39: Dorcas era uma espécie de costureira que abençoava a vida de pessoas com o fruto do seu trabalho na cidade de Jope. Romanos 16.1-6: Duas mulheres são mencionadas como pessoas que trabalhavam para a igreja em Roma (Febe e Maria).

Em 1Timóteo 5.9-10, quando Paulo instrui quais viúvas poderiam ser ajudadas pela igreja. Um dos pré-requisitos, é que elas tenham sido mulheres que tiveram boas obras, ou seja, boas ações, bons “serviços” em favor do próximo. Com isso, a Bíblia deixa claro para nós que as mulheres não devem apenas ficar em casa realizando serviço do lar, mas outros serviços cujo foco seja abençoar vidas.
COMO ELAS DEVEM SER NO LAR?
Em Gênesis 2.18, Deus apresenta a principal razão de ter criado a mulher: “Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea”.

A mulher foi criada por Deus para ser um auxílio ao homem, assim como o próprio Deus é um auxílio ao homem (Salmo 60.11: “Presta-nos auxílio na angústia, pois vão é o socorro do homem.” e Salmo 63.7: “Porque tu me tens sido auxílio; à sombra das tuas asas, eu canto jubiloso”).

Só Deus e a mulher são chamados de “auxiliadores” na Bíblia. Deus para a humanidade, e a mulher para se marido e família.

Para a mulher, não é pouca coisa ser comparada com Deus em sua missão. Muitas coisas podem atrapalhar a missão da mulher em seu serviço no lar.

A Bíblia não é contra mulheres trabalharem, mas é contra esse espírito moderno de competição entre homens e mulheres pelo mercado de trabalho, ou, por essa importância exagerada que muitas mulheres dão às suas carreiras profissionais, deixando de ser um auxílio espiritual para seus filhos e maridos (lembre-se dos exemplos do liquidificador e da máquina de lavar roupas).

Em 2Timóteo 1.3-5, Paulo fala com alegria do papel da avó e da mãe de Timóteo em sua educação e auxílio espiritual no caminho do Senhor.
COMO ELAS DEVEM SER NO EVANGELHO?
A Bíblia fala honrosamente de algumas mulheres, mostrando como suas vidas agradaram a Deus. Uma delas é Ana, a profetisa de Jerusalém. Em Lucas 2.36-38, fala de como ela tinha uma vida de oração e de jejuns.

Em 1Pedro 3.3-4, a Bíblia fala sobre como as mulheres devem se preocupar mais com o seu interior do que com seu exterior. Isso não significa que as mulheres não devam se preocupar com sua aparência, mas que elas devem dar tanto ou mais importância para o que Deus está vendo em seus corações do que para o que as pessoas estão vendo em seu exterior.
CONCLUINDO
Muitas outras coisas poderiam ser ditas sobre o papel da mulher.

Estas são apenas algumas informações que a Palavra de Deus nos dá para que as mulheres possam viver de um modo agradável a Deus e que não se desviem daquilo que Deus espera delas. Agradar e obedecer a Deus traz muita alegria ao coração de qualquer pessoa;

Enquanto as mulheres, como mulheres, estiverem vivendo do modo com Deus espera, Deus as sustentará e abençoará, com muita alegra, pois elas estarão vivendo para aquilo que foram criadas.

Honrar a Deus e viver segundo os propósitos de Deus só traz alegria ao nossos corações.

OS PAPÉIS DO HOMEM E DA MULHER NO CASAMENTO (Parte 1)

As funções dadas ao homem e à mulher apontam para uma das tantas formas de sermos cheios do Espírito Santo. Após começar a falar sobre o encher-se do Espírito, Paulo passa explorar uma forma pouco estudada de glorificar a Deus. Vivendo os papéis dados por Deus, homem e mulher são capazes de viver de um modo que glorifique a Deus e os encha do Espírito Santo.

A razão para isso é não só glorificar a Deus, mas protegerem-se de quaisquer problemas futuros que desencadeariam um processo de separação e divórcio. Batalhas espirituais são tão frequentes e normais que somente quando compreende-se as funções de cada um e vivem a função dada a cada um é que somos capazes de viver para a glória de Deus. 

Vejamos, assim, o começo sobre as funções no casamento e como homem e mulher, complementando-se através de suas funções, glorificam a Deus e protegem seu lar de quaisquer tempestades que vierem.

As mulheres sejam submissas ao seu próprio marido, como ao Senhor;

porque o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, sendo este mesmo o salvador do corpo. Como, porém, a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo submissas ao seu marido.

Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito.

Assim também os maridos devem amar a sua mulher como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo se ama.

Ef 5.22–28

As mulheres sejam submissas ao seu próprio marido, como ao Senhor;

Esse verso não deve ser lido sem a orientação do verso anterior (v. 21), sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo. A sujeição, segundos estes versos, é mútua, e não unilateral. 

No entanto, a primeira a ouvir sobre sua relação à submissão é a mulher. Esta, deve ser submissa ao marido da mesma forma como é submissa a Cristo. No entanto, isso não torna o marido um Cristo, ou Deus na vida da mulher. Apenas aponta para a função que a esposa tem em relação ao marido, e a relação funcional é de submissão.

A palavra submissa, na verdade, não aparece no verso 22, mas no 21. As mulheres do v. 22 estão ligadas à ordem do verso 21, 36.18 ὑποτάσσομαι (hypotassomai), submeter-se às ordens ou direções de alguém, obedecer, submeter-se.⁠1

A ordem para submeter-se no verso 21 é uns aos outros no temor de Cristo, ou seja, não apenas da mulher. O ponto é que, a primeira a receber orientação foi a mulher que, em respeito a Deus e ao marido, deve submeter-se sempre à função dada a ele de responder pela família e conduzi-la nas decisões e rumos da vida. Assim como são submissas ao Senhor Jesus, devem submeter-se ao marido. Por qual motivo?  

porque o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, sendo este mesmo o salvador do corpo. Como, porém, a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo submissas ao seu marido.

Eis o motivo dado pelo Espírito Santo. A palavra cabeça está ligada à função do marido de ser responsável pela família, sendo ele quem prestará contas e quem deve responder por quaisquer questões que sejam.

O paralelo usado por Deus neste texto é Cristo e igreja, homem e mulher. Como Cristo é o cabeça da igreja, o marido é o cabeça da mulher. A mulher deve se ver como a igreja, buscando santidade, serviço, amor, devoção, dedicação, enquanto o homem deve ver-se como Cristo, amando, protegendo, santificando, alimentando, pastoreando. Paulo irá explicar de modo mais detalhado este paralelo adiante.

Após expor o papel da mulher, o papel do homem é destacado.

Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito.

Assim também os maridos devem amar a sua mulher como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo se ama.

Aqui encontra-se, indubitavelmente, a função mais difícil, talvez, impossível, que foi a dada ao homem. No entanto, embora impossível, não pode ser abandonada. A função dada ao homem é ser semelhante a Cristo. 

Se, por um lado, a mulher de se ver como a igreja, por outro lado o homem deve se ver como Cristo, não somente em sua glória, mas em seu sacrifício. Aliás, mais em sua humilhação do que em sua exaltação, algo que ele, Cristo, não divide com ninguém. Já sua humilhação é dividida com o homem.

A primeira ordem é do amor. Amar não é nada além do que morrer para o bem do outro. Deixar sua própria vontade por causa do desejo de quem se ama. A medida que é dada ao homem contempla-o amando sua mulher da mesma maneira como Cristo a ama. Daí, então, cada palavra dita, cada decisão tomada, enfim, devem ser executadas pensando-se em Cristo. 

Enquanto a mulher se vê como a igreja em sua relação com o marido, o homem deve sempre pensar em Cristo, em como ele falaria, em como ele responderia, em o que Cristo faria com o tempo livre, na maneira como Cristo administraria o sustento dentro de casa, etc.

Como Cristo se entregou pela igreja, os maridos devem se entregar por suas esposas. E essa entrega envolve a santificação. A expressão no início do verso 28 “assim também os maridos devem amar a sua mulher revela o modo como o homem deve se ver em relação à esposa. O assim também deve levar os olhos dos maridos à pessoa de Cristo. Assim, todo marido deve se ver como responsável pela vida espiritual de sua esposa. É mais do que ser um pastor do lar, mas um verdadeiro agente santificador. Não que os maridos possuam poder para isso, mas sim o poder para conduzir um processo que leve a isso.

É assim que eles devem santificar suas esposas, como responsáveis pela santidade delas. As palavras são “santificar, purificar, lavar pela Palavra e, por fim, a apresentar diante do Pai”. Com outras palavras, é isso que o Espírito Santo levou Paulo a escrever nos versos 25-27 de Efésios 5.

Deve haver um santo temor em todo homem, pois haveremos de apresentar nossa esposa e família diante de Deus um dia. E esse dia pode chegar em breve e é por isso que não podemos postergar essa tarefa mais e mais. 

A Palavra de Deus possui um papel purificador neste texto. É ela quem purifica a mulher e o homem, e é através dela que o homem purificará sua esposa, através de leituras juntas, através de recordações de textos bíblicos que dão a direção em momentos de dúvida, através de momentos de devoção e meditação, enfim, é a Palavra de Deus sempre que é capaz de purificar os corações e o homem tem a responsabilidade dada pelo Criador de administrar a espiritualidade da esposa. Assim como Cristo apresentará sua noiva ao Pai, maridos darão conta de suas esposas de uma forma que, para nós, hoje, é difícil de compreender.

O amor de um homem por uma mulher apresenta o amor de um homem por si mesmo. Da mesma maneira como ele cuida de seu corpo e vontades, deve cuidar também da esposa.

 

1 Johannes P. Louw e Eugene Albert Nida, Greek-English lexicon of the New Testament: based on semantic domains (New York: United Bible Societies, 1996), 467.

Complementarismo: o papel da mulher

Este é o primeiro episódio de uma série de mensagens que serão postadas aqui em forma de podcast.

O primeiro podcast trata de um assunto já abordado aqui, o complementarismo cristão. Nele, trato especificamente do papel da mulher no casamento cristão.

Outros programas serão postados antes de ser postado o próximo programa sobre complementarismo, no qual trataremos do papel dado por Deus ao homem no casamento.

Até lá, vários episódios serão postados. Todos terão como objetivo encontrar a alegria que vem de conhecermos a vontade e conselho de Deus para nossa vida.

IN DEXTERA TUA é uma expressão latina que aparece no Salmo 16.11. Significa literalmente EM TUA DESTRA. E é lá, na destra de Deus, que podemos encontrar sentido para vida, perdão para nossos pecados e paz para nossa alma. É lá, também, que encontramos plenitude de alegria e delícias perpetuamente.

Por isso, tudo o que for postado em IN DEXTERA TUA terá como objetivo encontrar direção espiritual do alto que possa produzir também alegria em nosso coração.

Espero em Deus poder lhe servir com esse esforço pessoal em propagar as maravilhas da Palavra de Deus.

Wilson Porte Jr.
in dextera tua

Complementarismo: definindo os papéis dentro do lar cristão

Quais são os princípios de um casamento cristão? Quais são os pontos básicos que todo homem e mulher deveriam saber antes de entrarem em um relacionamento que vise o casamento?

Pensando nisso, comecei uma série de estudos com os casais da Liberdade sobre o COMPLEMENTARISMO CRISTÃO.

De um modo simples, o complementarismo define que, no casamento, cada um tem uma função ou papel específico dado por Deus. Não há superioridade ou inferioridade nas funções. Trata-se apenas de papéis bem definidos para que o casamento possa durar até que a morte os separe.

O conhecimento e observância destes papéis possibilita ao casal desfrutar de um modo especial o casamento como criado por Deus.

O complementarismo entendo que Deus é o autor do casamento. Assim sendo, ninguém mais do que Ele para dizer qual a melhor maneira de um casamento durar e ser feliz.

Abaixo você poderá ouvir e comentar, se quiser, o primeiro estudo. Nele, após uma breve reflexão sobre BATALHAS ESPIRITUAIS NO LAR, falo especificamente sobre o papel da mulher no casamento cristão.

Deus abençoe vocês!

Wilson Porte Jr.